top of page
Buscar

Combustíveis vão ficar mais caros em Minas Gerais

Governo decide aumentar o preço de referência do combustível no Estado, que serve de base para o cálculo do ICMS.


A partir do dia 1º de abril, próxima quinta-feira, gasolina, etanol e diesel terão seus preços reajustados nas bombas de todos os postos de combustíveis de Minas. Isso porque o Governo de Minas irá aumentar o preço de referência do combustível no Estado, que serve de base para o cálculo do Imposto sobre Circulação de


Mercadorias e Serviços (ICMS). Na prática, isso corresponde que o governo estadual vai arrecadar mais dentro do valor cobrado pela gasolina nos postos. Dessa maneira, o valor final dos combustíveis sofrerá aumentos no bolso do consumidor.


De acordo com a Minaspetro, entidade que representa os postos, com a mudança, o preço de referência na gasolina considerado pelo Estado passará de R$ 5,18 para R$ 5,94, sofrendo um reajuste de 14,6%. No caso do diesel, o valor referência terá acréscimo de 8,9%, passando para R$ 4,44. Já o valor do etanol aumentará 26,4%, para R$ 4,33.


O reajuste não se trata de um aumento de alíquota no ICMS, que dependeria de uma aprovação de projeto de lei, mas de uma atualização do preço base do produto sobre qual incide a alíquota do imposto. No entanto, tendo em vista a alta nos combustíveis, em fevereiro, o Minaspetro pediu ao governo de Minas para congelar o preço médio de referência dos combustíveis.

“Fizemos essa solicitação, principalmente, pelo momento delicado que estamos atravessando de pandemia e restrição de mobilidade. As pessoas já estão sem dinheiro e sem emprego. Não pedimos redução, mas que mantivesse esse valor em um momento que temos perda de empregos. A gente não aguenta mais pagar essa carga tributária dos combustíveis como pagamos em Minas”, afirmou o presidente da entidade, Carlos Guimarães.

Segundo ele, o sindicato enviará um ofício ao governador Romeu Zema pedindo que reavalie o aumento.


Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais informou que a mudança no preço médio do combustível é um procedimento adotado periodicamente por todos os Estados e destacou que leva em consideração o levantamento feito mensalmente nas notas fiscais emitidas por 4.272 postos revendedores distribuídos em todos os municípios mineiros. “O resultado obtido na pesquisa é, na prática, uma atualização da média do preço cobrado ao consumidor final nas bombas, que é usada como base de cálculo para o imposto”, informou. A pasta destacou ainda que a atualização da base de cálculo é reflexo dos reajustes que foram repassados aos consumidores.

Comments


ÚLTIMAS NOTÍCIAS!

anuncio marsusi.jpeg

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

bottom of page