top of page
Buscar

Comerciantes ibiaenses reclamam da presença de barraqueiros em festa


A presença dos barraqueiros na Festa de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, parece está incomodando alguns comerciantes de Ibiá. Nos últimos dias, circulam pelas redes sociais, que a CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Ibiá, pressiona a administração atual para que os barraqueiros deixem a cidade na segunda-feira e não na quarta-feira como acontece em todos os anos. Alguns barraqueiros dão uma “esticadinha”, e permanecem um dia a mais. A maior reclamação dos comerciantes, que tem seu negócio fixo em Ibiá, é que a concorrência é desleal, em função dos preços praticados pelos barraqueiros.

São barracas grandes, pequenas, umas bem estruturadas, outras mais simples. Já alguns barraqueiros, preferem simplesmente isopores com carrinhos, outros isopores na cabeça, enfim, a luta pela venda é incansável. Sair de uma festa, desmontar tudo, embalar produtos, enfrentar estradas, chegar a uma nova festa e arrumar tudo de novo, realmente é uma tarefa desgastante e muito difícil. Alguns levam a família e trabalham juntos, outros preferem passar dias e até meses longe da família para garantir um sustento melhor.

Os barraqueiros comercializam de tudo, roupas para todas as idades, enxovais, calçados, brinquedos, eletrônicos, comidas, bebidas, utensílios domésticos, enfim, uma diversidade que fez com que o povo de Ibiá, até apelidasse o local de “Shopping São Benedito”.



“É legal a festa, todos os anos eu venho trago minha mãe e nos divertimos muito. Fico triste em saber que estão tentando acabar com a festa. Eles precisam é ajudar ela a ficar cada vez mais bonita”,  disse uma moradora do bairro Dona Maroca.

Os barraqueiros merecem respeito e todos devem valorizá-los, pois a participação deles na festa é de grande importância. Muitos barraqueiros participam da festa há mais de 10 anos e gostam de visitar a cidade.

“ A festa é linda, a cidade é boa, tem boa estrutura. O local da festa é muito privilegiado, temos dois grandes supermercados bem próximos, uma farmácia. Então, a gente gosta muito de trabalhar aqui todos as anos. E não viemos aqui tirar o espaço de ninguém, respeitamos todos os colegas comerciantes e todos sabem das dificuldades que é manter um trabalho desses”. disse um barraqueiro que preferiu não se identificar.

Alguns barraqueiros preferiram não participar da festa, alegando o alto preço cobrado pela Associação. Este ano cada barraqueiro tem que desembolsar o valor de R$ 120,00 por metro alugado. “É um absurdo. No ano passado pagamos 75 reais por metro e este ano simplesmente alteraram o valor para 120 que, pra mim, é um valor abusivo. Tem gente aqui que pagou 860 reais e ainda não vendeu o suficiente pra cobrir essa despesa. Se no ano que vem os preços não melhorarem, infelizmente não vai dar para participar da festa.”, comentou um barraqueiro da cidade de Lagoa da Prata, que participa da festa há 12 anos.

A Festa de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito acontece em Ibiá há mais de 50 anos e nos últimos anos, tem se criado vários impasses entre a Igreja Católica, organizadora da festa e Associação de Congos e Moçambiques, responsável pela cobrança de aluguéis dos barraqueiros. A arrecadação da festa é o fator que causa maior divergências entre ambas as partes. Já os comerciantes de Ibiá, lutam para diminuir o tempo de trabalho dos barraqueiros.

A briga promete ser longa e só esperamos que não venha a prejudicar uma manifestação de fé e cultura tão bonita, que é valorizada em várias partes do Brasil.

NOSSA OPINIÃO

O motivo da briga é o de sempre: dinheiro. A responsabilidade pela cobrança dos aluguéis, deveria ser feito pela prefeitura, já que se trata de espaço público. Deve-se cobrar um valor compatível com a festa. E a arrecadação com os aluguéis deve ser dividido em partes iguais entre Associação de Congos e Moçambiques e Igreja Católica. 

anuncio3458.jpg

ÚLTIMAS NOTÍCIAS!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

bottom of page