top of page
Buscar

Criança de 1 ano morre em MG com suspeita de maus-tratos; mãe e padrasto são presos

Corpo de Bombeiros informou que a vítima deu entrada no hospital na manhã de segunda-feira, dia 25, em estado inconsciente, acompanhada pela mãe e pelo padrasto.

Imagem: Redes Sociais

BELO HORIZONTE/MG - Maria Flor Silva Rodrigues, uma criança de apenas 1 ano, faleceu na última terça-feira, dia 26, após ter ficado internada em estado grave no Hospital João XXIII, em Belo Horizonte. A suspeita é de que a criança tenha sido vítima de maus-tratos. Tanto a mãe quanto o padrasto foram presos como suspeitos da morte da menina. O sepultamento aconteceu na manhã desta quinta-feira, dia 28.


Maria Flor deu entrada no Hospital Municipal de Papagaios na manhã de segunda-feira, dia 25, em estado inconsciente, acompanhada pela mãe e pelo padrasto, conforme informações do Corpo de Bombeiros.

Exames realizados revelaram que a menina sofreu traumatismo craniano, afundamento parietal do lado direito, trauma no tórax, trauma abdominal e hematomas em ambos os ouvidos, abaixo do queixo e em outras partes do corpo.

A Polícia Militar foi acionada e a criança foi transferida para o Hospital João XXIII por meio da aeronave do Corpo de Bombeiros, acompanhada da avó e de um representante do Conselho Tutelar.

Segundo informações dos Bombeiros, a mãe alegou que Maria Flor sofreu uma queda alguns dias antes, mas não procurou atendimento médico, o que levou os agentes a considerarem a possibilidade de maus-tratos.  Já o padrasto relatou em seu depoimento que Maria Flor estava brincando no quarto com outras crianças quando uma delas chutou uma bola e acabou machucando a irmã mais nova.


Os médicos que atenderam a criança informaram aos policiais que tiveram dificuldade em encontrar uma veia devido ao estado de desnutrição da menina e que os hematomas encontrados não pareciam recentes.

Mãe e padrasto foram levados à delegacia, mas foram liberados por falta de elementos suficientes para a prisão preventiva ou em flagrante.

O delegado Thiago Saraiva afirmou que o laudo médico mostra que, além dos hematomas, a criança apresentava afundamento no tórax e lesões na cabeça, ferimentos que não são compatíveis com uma queda, como alegado pelo padrasto.

A família já era acompanhada pelo Conselho Tutelar, que recebia constantes denúncias de que as crianças estavam sendo negligenciadas e não recebiam os cuidados necessários.

Na quarta-feira, dia 27, a mãe, de 20 anos, e o padrasto, de 30 anos, foram presos como suspeitos pela morte da criança. O casal foi encaminhado para a Penitenciária Pio Canedo, em Pará de Minas, onde estão a disposição da justiça. Eles deverão responder por homicídio qualificado. O inquérito tem previsão de conclusão em 30 dias.

De acordo com a Polícia Civil, o casal estava junto há seis meses. A mulher também é mãe de outros três filhos, sendo o mais velho com 6 anos.

A polícia informou que o caso segue em investigação.

anuncio3458.jpg

ÚLTIMAS NOTÍCIAS!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

bottom of page