ÚLTIMAS NOTÍCIAS!

Buscar

Governo de Minas fala sobre a situação da pandemia do novo coronavírus no estado

Entre os assuntos abordados o secretário de saúde falou sobre a desobrigação do uso de máscaras, vacinas e aulas presenciais obrigatórias.


Foto: Governo de Minas/Divulgação


O Governo de Minas Gerais, durante entrevista coletiva realizada na última quinta-feira (14), concedida pelo secretário de saúde, Fábio Baccheretti, abordou vários assuntos pertinentes a situação da pandemia do novo coronavírus no estado. Entre os assuntos abordados, o secretário falou sobre a desobrigação do uso de máscaras, aulas presenciais obrigatórias e campanha de vacinação.


Segundo o secretário, Minas Gerais vai receber nos próximos dias, cerca de 400 mil doses do imunizante da AstraZeneca, o que será suficiente para preencher um déficit de 118 mil doses da vacina. O secretário ainda revelou que existem mais de 2 milhões de doses da vacina Pfizer estocadas em centros regionais de distribuição, aguardando a retirada pelos municípios.


Durante a entrevista o secretário falou sobre os reflexos do avanço na imunização dos mineiros. Conforme Baccheretti, 553 municípios do estado estão há um mês sem registrar óbitos por covid-19.


Principais pontos da entrevista

Desobrigação do uso de máscaras



Baccheretti destacou que o estado apresenta uma melhoria satisfatória nos indicadores da pandemia, e isso faz o governo preparar para desobrigar o cidadão a usar máscaras de proteção. Mas isso, a princípio, só deverá acontecer em ambientes abertos.

“Em locais abertos e arejados como praças, parques, o risco é menor, muitos países fizeram isso após atingir a imunidade de rebanho. Aqui, no final do mês que vem pode acontecer, já que circulação é baixa do vírus, se a gente conseguir imunidade de rebanho, pode ser, mas não está na hora de tirar a máscara, ainda apenas 50% de pessoas receberam a segunda dose, está longe em número de 70% (quando atinge imunidade). Em dois meses, pode ser desobrigado a usar máscara em locais abertos em Minas. Locais fechados ainda não há como prever”, disse Baccheretti.

Aulas presenciais obrigatórias


Após o Governo autorizar o retorno de 100% dos alunos às salas de aulas, o secretário disse haver hipóteses de o estado retomar as aulas presenciais ainda esse ano.


“Há chances de aulas presenciais no estado ainda esse ano, sim. A limitação não é para número de alunos e sim para o distanciamento. Mas já estamos estudando tentar tirar 90 centímetros como distanciamento mínimo. E queremos voltar presencial. Há alunos com comorbidades, mas isso está sendo discutindo, a secretaria de educação espera e nós também que a gente consiga voltar com todas as atividades presenciais ainda esse ano”, afirmou.

Vacina



Baccheretti afirmou que no momento há uma carência de 118 mil doses do imunizante AstraZeneca para aplicação da segunda dose no estado. Ele disse que espera sanar esse problema nos próximos dias com a chegada de 400 mil doses da vacina.


"Conversei hoje com o Rodrigo Cruz, secretário executivo do Ministério da Saúde, e ele explicou que o governo federal espera receber amanhã 4 milhões de doses Astrazenca, ou seja, cerca de 400 mil para Minas Gerais. Mais 300 mil para semana que vem. É suficiente para suprir a necessidade que temos de Astrazeneca", observou.

O secretário ainda revelou que existem cerca de 2 milhões de doses da vacina Pfizer estocadas nos centros regionais de distribuição, aguardando a retirada pelos municípios.


“Nós estamos num momento de destaque em que muitas doses estão paradas nas regionais aguardando os municípios buscarem, entre 1 e 2 milhões de Pfizer esperando município buscar. Parece que há um receio de usar a vacina para vacinar reforço dos idosos e também para adolescentes. Temos que entender o que está acontecendo. Aos municípios queremos fazer essa distribuição, não dá para ter dose parada", alertou o secretário.

Durante a entrevista, Baccheretti fez uma observação bastante otimista. Dos 853 municípios de Minas Gerais, 523 estão há um mês sem registrar óbitos por covid-19. Segundo o secretário, nesse momento, estão sobrando vagas nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). Atualmente a média de ocupação dos leitos de UTIs, estão abaixo de 25%.


“Não temos nenhuma pressão no sistema de saúde, temos vagas sobrando nos hospitais do Estado. O vírus está circulando cada vez menos e 523 municípios não têm óbitos por Covid-19 no último mês”, completou.




0 comentário