top of page
Buscar

Impasse prejudica organização da Festa de N. S. do Rosário e São Benedito em Ibiá

Parte religiosa e cultural está garantida


A cidade de Ibiá recebe todos os anos, em meados do mês de julho, a tradicional Festa de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito. São mais de 60 anos de tradição, cultura e religiosidade. Pela sua grandeza e importância a festa passou a ser celebrada como Patrimônio Imaterial de Ibiá, uma conquista muito celebrada pela comunidade de São Benedito. Mas nem tudo é motivo de comemoração. Imbróglios entre organizadores e comunidade, que vem ocorrendo há vários anos, tem provocado desconforto e desgaste, situação que, a cada ano, deixa incerto a realização da festa.  

Esse ano, como já ocorreu em anos anteriores, o impasse é em relação à montagem das barraquinhas, que trazem para a festa, comidas, roupas, calçados, eletrônicos, utensílios domésticos, brinquedos entre outros. O motivo principal do embaraço é a divisão do valor arrecadado com o aluguel do espaço para montagens das barracas. Os organizadores da festa ofereceram um percentual aos moradores que sedem suas calçadas aos barraqueiros, o que não foi aceito por parte deles.


Nossa equipe esteve no bairro São Benedito e conversou com um morador, que pediu pra não divulgar seu nome. Ele conta que a comunidade está muito triste com essa situação e teme pelo fim da festa.

“Acompanho essa festa há mais de 20 anos e nunca vi tanta briga como está acontecendo esse ano. Por ter uma representatividade cultural tão grande pra cidade, eu acho que a Prefeitura deveria organizá-la e acabar de vez com essas discussões. Eu, como católico que sou, fico triste em saber que pessoas que deveria ajudar querem é acabar com a festa.”

A respeito de todos esses impasses, que está provocando muita agitação popular na cidade, nossa equipe entrou em contato com a Prefeitura que, através de sua assessoria de imprensa, prontamente nos respondeu.

De acordo com a Prefeitura a Festa é da Paróquia de São Benedito e da Associação de Congos e Moçambique, e que a Prefeitura é parceira e incentivadora da festa. E por se tratar de um Bem Imaterial tombado, tem a obrigação de salvaguarda. Ainda de acordo com a Prefeitura a partir de 2017, a atual administração, através da Secretaria de Cultura e Turismo, tem dado o seu apoio, o que não ocorreu na administração passada. Entre as contribuições do município está o pagamento da energia elétrica, que fica em torno de 20 mil reais; divulgação da festa através de cartazes, panfletos, convites e etc.; parte logística como distribuição de água através do SAAE, equipe de limpeza, lixeiras e caçambas; decoração, disciplinadores, sinalização e banheiros químicos.

Acompanhado os desdobramentos negativos da organização da festa, inclusive com chances de não ser realizada esse ano, a Prefeitura resolveu participar de reuniões e conversa com a Igreja e a Associação, propondo aos organizadores soluções para resolver esses impasses, porem o problema que envolve moradores e barraqueiros, se trata de uma questão interna, e cabem a Associação e Paróquia definirem.

Reunião

Ocorreu ontem (11), na Casa Paroquial de São Benedito uma reunião entre os organizadores (Paróquia de São Benedito, Associação e COPAI) e representantes da Prefeitura. Na reunião foi apresentada uma proposta, que será analisada pelos organizadores e definida até à próxima sexta-feira dia 14/06.

De acordo com a Prefeitura a parte religiosa e cultural do evento está garantida, visto que o município se prontificou a apoiar e garantir todo suporte necessário para realização da festa e que o impasse se encontra exclusivamente no que se refere às barraquinhas.

A Prefeitura aguarda a decisão dos organizadores, mas está bastante confiante que tudo se resolverá da melhor maneira possível.

Nossa equipe tentou entrar em contato com a Associação de Congos e Moçambique e com a Paróquia de São Benedito, mas não obtivemos sucesso. Nosso espaço está aberto para que ambos possam se manifestar, basta nos enviar um e-mail para: ibiaemfoco@gmail.com.

#Cidade #Cultura