top of page
Buscar

Operação da PF combate fraudes no programa Auxílio Emergencial em 12 cidades de Minas

Atualizado: 25 de out. de 2022

O objetivo da operação é desestruturar ações que causam graves malefícios ao programa assistencial.


Imagem: Polícia Federal/Divulgação.


A Polícia Federal (PF) deflagrou, nesta quinta-feira (20), a 3ª e a 4ª fases da operação "Subitis Auxillium", que visa identificar a atuação de organizações criminosas que participam de um esquema de fraudes ao programa “Auxílio Emergencial”, em 12 cidades mineiras.


Conforme a corporação, a investigação teve início após ferramentas de inteligências identificarem pagamentos indevidos. Policiais estão cumprindo 17 mandados de busca e apreensão e 25 bloqueios de contas bancárias.


Segundo a polícia, o objetivo é desestruturar ações que causam graves malefícios ao programa assistencial e, por consequência, atingem à toda a parcela da população que necessita dos valores.


Em nota, a PF explicou as operações que estão sendo executadas:

“Quanto à 3ª fase, após análise e cruzamento dos dados fornecidos pela CAIXA, identificaram-se imóveis possivelmente vinculados aos titulares das fraudes, os quais foram objeto de 09 mandados de busca e apreensão nos municípios de Belo Horizonte, Nova Lima, Santa Luzia, Governador Valadares e Montes Claros.
Sobre a 4ª fase, a PF identificou imóveis supostamente relacionados aos fraudadores. Foram objeto de oito mandados de busca e apreensão nos seguintes municípios de Minas Gerais: Belo Horizonte, Ponte Nova, Lagoa Santa, Sete Lagoas, Paracatu, Uberaba, São Sebastião do Paraíso e São Francisco, sendo também realizados bloqueios de 25 contas bancárias ligadas aos investigados”, diz a nota da PF.

O esquema criminoso foi identificado pela Base Nacional de Fraudes ao Auxílio Emergencial (BNFAE), mantida pela Coordenação Geral de Repressão a Crimes Fazendários da PF. As fraudes no pagamento do auxílio foram identificadas e confirmadas pela Caixa Econômica Federal, que comunicou as irregularidades à polícia.


Ainda segundo a PF, o inquérito referente a 1ª e 2ª fases da Operação Subitis Auxiulium foi finalizado com 48 pessoas indiciadas em vários crimes, dentre eles furto qualificado, associação criminosa e lavagem de dinheiro, de acordo com cada caso investigado, além do bloqueio de dezenas de contas bancárias, sendo cumpridos, em 2021, 80 mandados de busca e apreensão em imóveis ligados aos investigados, 17 bloqueios de contas e 13 medidas cautelares diversas da prisão vinculados ao citado inquérito.


Com informações de Rádio Itatiaia, Jornal O Tempo e Polícia Federal.

תגובות


ÚLTIMAS NOTÍCIAS!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

bottom of page