top of page
Buscar

Pai e filho morrem afogados na cachoeira de Argenita, no município Ibiá

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, nenhum dos dois sabiam nadar.

Imagem: Corpo de Bombeiros/Divulgação

O que era pra ser mais uma tarde de descontração e lazer acabou se transformando em  tragédia.

Pai, mãe e filho, estavam se divertindo em uma cachoeira, localizada na zona rural de Ibiá, próximo ao distrito de Argenita, na tarde de ontem (15), quando um inesperado acidente aconteceu. Pai e filho acabaram perdendo a vida após se afogarem no poço da cachoeira.


O filho do casal estava se banhando quando começou a se afogar. Tomado pelo desespero, o pai do garoto pulou na água na tentativa de salvar o filho, e acabou se afogando também. A mãe, que nada pode fazer, saiu a procura de ajuda. Populares chegaram ao local e encontraram o corpo do garoto em um banco de areia próximo as margens da cachoeira.

Imagem: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Uma guarnição do Corpo de Bombeiros de Araxá compareceu no local e confirmou a morte do garoto. Os bombeiros iniciaram as buscas pelo pai do menino no fim da tarde de ontem, mas não obtiveram êxito. Hoje (16), pela manhã, um grupo de mergulhadores do Corpo de Bombeiros retomaram as buscas e o corpo do homem foi encontrado a cerca de cinco metros de profundidade. Segundo informações passadas pela mãe do garoto ao Corpo de Bombeiros, nenhum dos dois sabiam nadar.


O homem foi identificado como Sebastião Rodrigues Filho, de 43 anos, natural de Tapira. Ele residia no distrito e prestava serviço terceirizado para a Prefeitura de Ibiá no transporte escolar.


O garoto, identificado como Guilherme Faria Rodrigues, de 11 anos, morava em Altolândia, distrito de Tapiraí, região Oeste de Minas Gerais e estava passando férias com pai.


Os corpos foram removidos para o IML (Instituto Médico Legal), de Araxá, onde passaram por procedimentos de praxe e em seguida liberados para o sepultamento.


Com o trágico acidente ocorrido em Argenita, sobe para quatro, o número de mortes por afogamento em Ibiá em pouco mais de um mês. No início de dezembro um garoto de 14 anos, também perdeu a vida após se afogar no Rio Misericórdia, no perímetro urbano de Ibiá. No final do mesmo mês, um jovem de 22 anos, também morreu após se afogar em um lago, na zona rural de Ibiá.


A displicência e o excesso de confiança são fatores predominantes nos afogamentos registrados no Brasil. Entre as recomendações dos bombeiros, para evitar os acidentes estão, não nadar sozinho, não ingerir bebidas alcoólicas antes de entrar na água, manter-se perto da margem e não tentar salvar pessoas em afogamento sem estar devidamente habilitado. 

anuncio3458.jpg

ÚLTIMAS NOTÍCIAS!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

bottom of page