top of page
Buscar

Pesquisadores descobrem anticorpo capaz de neutralizar o coronavírus

O trabalho foi publicado na última segunda-feira (05) por cientistas da Universidade de Utrecht, do Erasmus Medical Center e do Harbor BioMed



Na última segunda-feira (04), a comunidade científica fez um grande avanço no estudo sobre o coronavírus. Cientistas da Universidade de Utrecht, do Erasmus Medical Center e do Harbor BioMed publicaram um artigo na revista “Nature Communications”, com a descoberta de um anticorpo totalmente humano capaz de neutralizar o Sars CoV-2, responsável pela Covid-19.


Os pesquisadores que fizeram a descoberta já estudavam anticorpos direcionados ao Sars CoV, causador de uma epidemia na China no ano de 2002. O grupo então resolveu testar as opções descobertas anteriormente, só que agora, para o novo coronavírus, responsável pela pandemia que o mundo vivencia atualmente.


Segundo Berend-Jan Bosch, líder da pesquisa na Universidade de Utrecht, o anticorpo descoberto conseguiu neutralizar o Sars Cov-2 em células in vitro. Bosch revelou que o anticorpo se liga a uma propriedade presente tanto no Sars-CoV quanto no Sars-CoV-2, o que desvenda a sua capacidade de neutralizar os dois microrganismos. “Esse recurso de neutralização cruzada do anticorpo é muito interessante e sugere que ele pode ter potencial na mitigação de doenças causadas por coronavírus — potencialmente emergentes no futuro”, disse o cientista.


Frank Grosveld, pesquisador do Erasmus Medical Center e diretor-científico da Harbor BioMed, afirmou que o anticorpo utilizado na pesquisa é “totalmente humano”.


A equipe pesquisadora espera desenvolver o anticorpo e tentar viabilizar um tratamento para a infecção causada pelo novo coronavírus. “Acreditamos que nossa tecnologia pode contribuir para atender a essa necessidade de saúde pública mais urgente e estamos buscando várias outras vias de pesquisa”, comentou Jingsong Wang, um dos especialistas. No entanto, mesmo com esperança, os cientistas ressaltam que o trabalho ainda está em andamento e muitos outros estudos ainda são necessários para avaliar se esse anticorpo pode proteger ou reduzir a gravidade da doença nas pessoas.


A pesquisadora Ana Maria Moro, do Instituto Butantan, em São Paulo, acredita que o trabalho da equipe holandesa ainda é “muito preliminar”. Ela explica que o anticorpo detectado não impede a entrada do vírus na célula. “Fizeram um anticorpo humano, mas eles não sabem ainda como neutraliza exatamente. Isso eu achei um ponto de interrogação. E só fizeram ensaio em células de laboratório”, disse Ana Maria.


Ana está produzindo um projeto financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) que também desenvolve anticorpos em laboratório com o objetivo de encontrar um novo tratamento para pacientes com coronavírus. Ela revelou que, além da Universidade de Utrecht, uma empresa na Coreia do Sul também conseguiu fazer descobertas sobre um anticorpo contra o Sars-CoV-2, “eles identificaram uma sequência. Não quer dizer que eles tenham um produto pronto para usar. Precisa fazer estudo em macacos, precisa fazer as linhagens”, finalizou a cientista.

コメント


ÚLTIMAS NOTÍCIAS!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

bottom of page