Buscar

SAAE estuda melhorias na distribuição de água em Ibiá

Rompimentos em redes de água é o maior problema

Um dos problemas enfrentados pelo SAAE (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) de Ibiá é, sem dúvidas, os rompimentos constantes em redes de distribuição de água. O problema afeta principalmente os bairros mais antigos da cidade, como Deolinda Mendes, São Benedito, Santa Cruz, Centro, São Dimas, São João e Rosa Maria, pois os tubos que transportam a água até as residências são feitos de amianto, um minério muito utilizado nas décadas de 70 e 80 e que devido ao grande tempo de uso já não oferece tanta resistência.


Os tubos de amianto, além de não serem mais eficientes, é um material que, quando inalado pode causar sérios problemas à saúde.

Nossa equipe entrou em contato com Paulo Azevedo, engenheiro ambiental e Perito Judicial Ambiental na A. Azevedo Consulting, de Mogi das Cruzes, em São Paulo, que nos explicou os perigos dos tubos de amianto: “Quando há necessidade de manusear ou executar manutenções em tubulações com esse tipo de material, deve-se isolar a área e é necessário usar aparelhos respiratórios, equipamentos de proteção individual e luvas, tudo para evitar qualquer tipo de contaminação desse material, para que não haja inalação”, explicou. 

De acordo com o diretor do SAAE de Ibiá, Vicente Carlos Coutinho, o SAAE conta com um Engenheiro Civil e uma Técnica de Segurança do Trabalho que monitoram os serviços para que haja condições salubres e seguras aos servidores da autarquia.

“Vale à pena frisar que o amianto é agente cancerígeno, quando inalado, entretanto o grande problema da rede de amianto está na sua manutenção e não causa danos a saúde quando é usado na distribuição da água até as residências”, explicou Coutinho.

Segundo o departamento de engenharia do SAAE, há cerca de 20 quilômetros de rede de amianto na cidade, uma quantidade considerada alta pelo tamanho da cidade.

Rompimentos de redes causam falta de água

De acordo com Vicente, as redes se quebram por motivos diversos, como a instabilidade na pressão dentro dos tubos e a diversidade de temperatura, ou seja, problemas na dilatação.

Segundo estudo feito pela atual gestão do SAAE, no ano passado foi registrado 92 rompimentos de tubos que, além de causar prejuízo para a empresa, causa o transtorno de ter que interromper o abastecimento de água na localidade que ocorreu o problema.

“Segundo estudos científicos, a rede de amianto tem vida útil de 40 anos, sendo que a rede de Ibiá tem 53 anos de funcionamento, portanto estamos enfrentando um período crítico”, destacou Vicente.

Ainda de acordo com Vicente, em média, os reparos das redes quebradas levam de duas a três horas para serem consertados, porém o abastecimento de água retorna de forma gradativa às residências.

Reforma do painel elétrico

Outro problema que afetou bastante o abastecimento de água em Ibiá, foram as diversas falhas ocorridas no painel eletrônico, instalado na captação de água no Rio Quebra-Anzol. De acordo com a atual gestão do SAAE, desde que foi instalado, jamais fizeram manutenção preventiva no painel, e o mesmo operava em situação precária podendo, a qualquer momento, sofrer uma pane geral, causando falta de água em toda a cidade.

Priorizando a segurança dos trabalhadores e um funcionamento eficiente da parte elétrica da captação, a diretoria do SAAE resolveu fazer uma manutenção corretiva no painel elétrico da captação.

No dia 13 de janeiro, funcionários do SAAE juntamente com técnicos habilitados realizaram os trabalhos que duraram cerca de 22 horas ininterruptamente e os resultados já foram observados logo nas primeiras horas de captação com o novo painel: mais eficiência na captação e no abastecimento, diminuindo as interrupções no fornecimento de água por problemas elétricos.

Reservatório pode amenizar o problema na falta de água

De acordo com a legislação brasileira toda construção deve conter um reservatório de água, mas na pratica, muitas obras acabam não incluindo o item no orçamento. Algumas empresas de saneamento do Brasil só fazem instalações de água se o proprietário apresentar nota fiscal de aquisição de um reservatório de, no mínimo, 500 litros de capacidade.

Para garantir que sua residência tenha água nos momentos de manutenções do SAAE é fundamental a instalação de um reservatório com capacidade que possa supri-lo por, no mínimo 24 horas.

Melhorias no abastecimento de água

De acordo com Vicente, o SAAE está em fase final de elaboração de um projeto para trocar a rede de amianto por tubulações em plástico PVC, tal projeto será apresentado em Brasília no mês de março.

“Estamos confiantes que em pouco tempo, grande parte deste problema será resolvido”, comentou Vicente.

#Cidade #Destaque

0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

ÚLTIMAS NOTÍCIAS!

Anuncio_ief-4.jpg
Dá uma olhada no design que eu fiz no Canva!.png