top of page
Buscar

Falta de infraestrutura inviabiliza novos investimentos da Nestlé em Ibiá


A maior indústria de produtos alimentícios do mundo, a multinacional suíça Nestlé, cobra da administração pública de Ibiá, investimentos na infraestrutura do município, para escoar sua produção.

A unidade fabril da Nestlé opera em Ibiá há mais de 50 anos, e desde sua inauguração, em 1964, vem realizando altos investimentos em sua linha de produção, o último deles em 2010, quando a indústria recebeu aportes na ordem de 35 milhões de reais, que foram usados para aumentar sua capacidade de processamento de leite, passando de 600 mil litros/dia, para 900 mil litros/dia.

Hoje a fábrica estuda a possibilidade de fazer novos investimentos em sua unidade, podendo, inclusive, diversificar sua linha de produção, mas a falta de um anel viário, ligando o município até a rodovia BR 262, impossibilita a ampliação da produção, pois o fluxo de caminhões pesados terá um aumento significativo e o tráfego deles por vias urbanas, pode ser inoperante para a fábrica.

Outro problema é a estrutura da ponte sobre o Rio Misericórdia. Em maio de 2012, o DER (Departamento de Estradas e Rodagem) interditou o tráfego na ponte por falta de segurança. Após meses de reforma, a ponte foi liberada, mas com limitação de peso. Problema para muitos, especialmente para Nestlé, que gera um grande fluxo de veículos pesados que utilizam a ponte e que precisa controlar o peso dos caminhões para não ultrapassar o limite de 24 toneladas, impostas pelo D.E.R.

Caso o anel viário não seja construído, ainda que seja remota, existe a possibilidade da Nestlé transferir sua planta de produção para outra localidade, o que acarretaria enormes prejuízos para o município.

Um estudo de construção do anel já foi elaborado, e o investimento para realização da obra deve girar em torno de 18 a 20 milhões de reais.  

Com base eleitoral na região, o deputado estadual Bosco (PT do B), ciente do grande problema, já solicitou empenho do governo estadual, na realização da obra. O pedido foi feito durante uma reunião com o Secretário de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, Altamir Rôso, realizada na sede do BDMG, em Belo Horizonte. De acordo com Altamir, o Estado não conta com muitos recursos, mas disse que é possível construir “soluções alternativas”, como, por exemplo, a isenção de ICMS.

A Prefeitura de Ibiá aguarda um posicionamento do governo do Estado a respeito da situação. O prefeito Hélio Silveira (PP) diz que está ciente do problema e que tem total interesse na execução desse projeto.

Atualmente, com os 900 mil litros de leite captados e processados diariamente, a Nestlé de Ibiá, gera aproximadamente, 284 empregos diretos e outros 2 mil indiretos.

Comments


ÚLTIMAS NOTÍCIAS!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

bottom of page